domingo, 5 de abril de 2009

Nascer

"Quem quiser nascer tem que destruir um mundo; destruir no sentido de romper com o passado e as tradições já mortas, de desvincular-se do meio excessivamente cômodo e seguro da infância para a conseqüente dolorosa busca da própria razão do existir: ser é ousar ser."

Demian
Hesse, Hermann
http://www.duplipensar.net/george-orwell/2004-12-demian-hesse-1984-orwell.html

7 comentários:

Bellatrix disse...

"A grandeza do homem consiste na sua decisão de ser mais forte que a condição humana."
Fonte: "Crônicas" de Albert Camus (filósofo existencialista - discussão sobre o ser)

Bellatrix disse...

Filosofia again:
Jean-Paul Sartre uma vez disse que "A existência precede e governa a essência." Essa definição funda a liberdade e a responsabilidade do homem, visto que esse existe sem que seu ser seja pré-definido. Durante a existência, à medida que experimenta-se novas vivências redefine-se o próprio pensamento, adquirindo-se novos conhecimentos a respeito da própria essência, caracterizando-a sucessivamente. Esta característica do ser é fruto da liberdade de eleição. Ou seja, nós somos frutos de nossas próprias escolhas. Bjs!

Ex-critor disse...

Preciso ler Hermann Hesse. Deveria já ter lido quando era mais jovem, mas a pilha do que eu precisava ler foi crescendo e sempre surgiam títulos mais novos e urgentes. Mas acho que não percebi a urgência que existia para ler o Hesse.

Quanto ao Sartre, esse tava na parte de cima da pilha. Lia muito as peças de teatro e os romances. Toda a parte filosófica estava presente na ficção.

Iaiá disse...

Sartre disse que a essência vêm depois e é governada pela existência...

Disse Alberto Caeiro:

“O essencial é saber ver. Mas isso exige um estudo profundo, uma aprendizagem de desaprender. Procuro despir-me do que aprendi, procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram, e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos...”

E agora? A existência, que pinta nossas paredes com tinta nova, a cada demão, nos faz afastar ou aproximar da nossa essência?

Concordo com Sartre e Caeiro, em contextos diferentes, dependendo do quanto a nossa mudança de pensamento se deu em decorrência do que somos de fato, ou se estamos a grosso modo, sendo contagiados, influenciados pelo meio.

Bellatrix disse...

Acho que se faz necessária uma breve distinção a respeito da essência e da existência. A distinção entre essência e existência corresponde a distinção entre conhecimento intelectual e conhecimento sensível. Os sentidos põem em contato seres particulares e únicos, que realmente existem. A inteligência permite aprender idéias ou essências, meras possibilidades de ser, em si mesmas inexistentes.
Para Sartre o existencialismo é uma doutrina que torna a vida humana possível, por outro lado declara que toda a verdade e toda a ação implicam um meio e uma subjetividade humana, o homem existe, se descobre, surge no mundo e só depois se define, ou seja, não é mais do que faz. Somos livres para dar sentido a qualquer coisa, mas temos que dar sentido a alguma coisa. Mas isso não o livra da liberdade e da responsabilidade. Somos influenciados pelo meio, penso, mas acredito que possamos modificá-lo a partir de nossas idéias. Bjks!

Daniel Wander disse...

Quando se vive o "agora", estamos sempre rompendo com o passado, vivendo o momento e construíndo o nosso futuro... e sim... escrevendo nas estrelas o que seremos. Romper com o passado não é a mesma coisa que esquecer, mas é deixar ele passar. Nascer, é aceitar o seu momento, sem os grilhões do seu passado.

Maria Regina disse...

Muito lindo!
Um abraço poético