segunda-feira, 25 de junho de 2007

Desfile



Pensamentos me desfilam, não recuam (nem respiram)
Em estonteantes batucadas que saem da concentração
Na passarela do meu peito, como ala de bateria
Páram, viram, me reviram, em crescente evolução
Alegorias, adereços, samba-enredo e harmonia
Despem toda a fantasia no meio da dispersão
E agora vão se embora, saciados da folia
Das batidas de alegria que me espancaram o coração...

5 comentários:

Fernando Palma disse...

Olá,

passei para retribuir a visita.
A tua forma de escrita e formato de textos são bem diferentes e pessoais. Isso é bom.

Até mais!

Cadinho RoCo disse...

Ué Iaiá. Se janela abre pra fora, nem por isso lado de dentro ficará fechado.
Cadinho RoCo

Edna Federico disse...

Ah, também acho que no meu peito cabe uma escola de samba inteirinha, riso...com todas as alas desfilando alegremente!

Anônimo disse...

Hoje assisto o desfile;
Sinto o batucar e toda a sua emoção;
Nessa passarela, não tem jeito;
E mesmo que o desfile não tenha tanta perfeição;
Dá-se sempre um jeito de chegar, se acomodar e ocupar um espaço lá no fundão;
Assisto o desfile, em lugar de honra, onde ouço a batucada e vejo a evolução;
Batucada que se confunde com a emoção e as batidas de meu coração;
E ali sentado alegre, espero que a batucada não termine, nem lá no meio da dispersão.

Rebeca disse...

Que lindas linhas...